08/02/2017 às 08h24min - Atualizada em 08/02/2017 às 08h24min

Senador paraibano leva uma 'rasteira' de Renan e Lobão deve ser oficializado na CCJ

Laerte Cerqueira
Os senadores maranhense Edison Lobão e o paraibano Raimundo Lira disputam a indicação para presidência da CCJ – Comissão de Constituição e Justiça, a mais importante da Casa. Os dois são do PMDB, partido com maior bancada e com direito de comandar a Comissão.

Lobão é apadrinhado pelo líder do PMDB, ex-presidente da Casa, Renan Calheiros, que está prestes a dar uma rasteira em Lira. Aliás, já deu.

É que, segundo o paraibano, havia um ‘entendimento’ de que se o alagoano assumisse a liderança do partido, Lira ficaria com a CCJ. Não foi tão simples.

 
 
Eu deixei de fazer todo o trabalho de articulação antecipado porque o senador Renan me pediu para ficar com a liderança. Mas, na última semana, ele mesmo assumiu o cargo (de líder do PMDB no Senado) e apresentou novo indicado para a CCJ”, disse Lira ao Estadão.
 

Renan assumiu a liderança, mas o nome de sua preferência (Lobão) para CCJ foi colocado no circuito e como não houve consenso. Lira, que tem interesse de se manter no front dos debates nacionais, quer ir para disputa e já disse que não abre.

O senador Edison Lobão (PMDB-MA) presidirá a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, o colegiado mais importante da Casa, no próximo biênio.

Após uma disputa interna no partido, o grupo dos ex-presidentes do Senado José Sarney (AP) e Renan Calheiros (AL) conseguiram colocar o aliado no comando da comissão. Ele já era o favorito para assumir o cargo, mas concorria com Raimundo Lira (PB), que presidiu a comissão especial do impeachment no ano passado.

Citado na Lava Jato, caberá a Lobão conduzir o processo de sabatina de Alexandre de Moraes, indicado na segunda (6) pelo presidente Michel Temer para ocupar a vaga do STF (Supremo Tribunal Federal) deixada por Teori Zavascki, morto em acidente de avião no mês passado.

Apesar das menções a seu nome, contudo, em novembro do ano passado, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo o arquivamento de um inquérito contra o senador peemedebista. Ele era acusado de ter pedido R$ 2 milhões para a campanha de Roseana Sarney de 2010 quando foi ministro de Minas e Energia ao então diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa.

A escolha de Lobão era o que faltava para que a CCJ fosse instalada, o que deve ocorrer ainda nesta quarta. Segundo afirmou nesta manhã o líder do PMDB, Renan Calheiros, o nome de quem comandará a comissão deve ser oficialmente anunciado à tarde. Em seguida, serão encaminhadas as indicações do partido para a Mesa Diretora.
 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »