03/10/2019 às 20h24min - Atualizada em 03/10/2019 às 20h24min

Deputado acusa Gervásio Maia de gastar R$ 1 milhão com lustres da ALPB; federal lança desafio e diz que renuncia o mandato se denúncia for provada

O deputado Gervásio Maia (PSB) disse que renuncia ao mandato se denúncia de Wallber Virgolino for comprovada. O desabafo foi feito durante entrevista a rádio Arapuan, na tarde desta quinta-feira (3). O par de lustre que teria sido comprado durante sua gestão a frente da ALPB teria custado aos cofres públicos R$ 1 milhão. 

Ele disse que foi pego de surpresa com a denúncia apresentada por Virgolino (PSL). " Renuncio meu mandato se ele provar o que disse e espero que faça o mesmo caso não mostre a verdade”, comentou o deputado.

Gervásio Maia lembrou que passou dez anos fazendo oposição, mas sempre fez de forma responsável sem a necessidade de atacar a conduta e o caráter de ninguém.  “As pessoas que eram meus opositores hoje são meus amigos porque nunca faltei com respeito com nenhum deles e nunca fiz denúncias sem ter provas”, destacou.

O parlamentar ainda ironizou dizendo que era mais barato a gestão ter adquirido um 'lampião'. "Em tempos de polêmica, um passarinho me contou que a gestão passada pagou 500 mil em cada lustre desses (espero que seja mentira). Procurem saber de quem era a empresa que vendeu os lustres e também fez toda a reforma da ALPB? É mulher de um político (o mais honesto do mundo). Era mais barato comprar um LAMPIÃO!!!", diz na postagem.

Lampião era o nome dado a lanterna ou candeeiro que iluminava as casas em décadas passadas, quando não havia energia elétrica nas residências. Geralmente feito com uma armação de metal (embora pudesse ser de outro material, como cerâmica) com um anteparo transparente (geralmente de vidro) para proteger a fonte de luz, que pode ser uma vela, uma chama abastecida por combustível (querosene ou gás, por exemplo) ou mesmo vagalumes, como era costume na antiga China. As lanternas costumam ter alças (ou pegas) para que possam ser carregadas.
ClickPB

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »