25/04/2019 às 22h20min - Atualizada em 25/04/2019 às 22h20min

Deputado descarta deixar quadros da Rede e já projeta partido para 2020

“Diga ao povo que eu fico”. A frase imortalizada na voz do então príncipe regente, Dom Pedro Alcântara, ao anunciar que permaneceria no Brasil em vez de retornar à Corte Portuguesa, bem que pode ser inserida no contexto hoje vivido pelo deputado estadual Chió, que anunciou, nesta quinta-feira (25), que permanecerá filiado ao partido Rede, mesmo com a expectativa de a legenda não receber fundo partidário ou ser contemplada com tempo no rádio e na TV. 

Parlamentar de primeiro mandato na Assembleia Legislativa da Paraíba,  Chió disse que foi eleito sem esses artifícios e acredita que a tendência é o povo se mobilizar para extinguir a destinação dessa verba para campanhas e partidos políticos. 

“Eu não precisei de tempo de TV, nem foi dinheiro que me fez chegar aqui, é uma tendência, os fundos partidários vão ser cada vez mais questionados pela população, que não quer usar o dinheiro publico para fazer política. Isso vai ser uma questão de tempo para a população querer que isso acabe também e a gente tem que se preparar para isso”, asseverou. 

O parlamentar, que foi prefeito da cidade de Remígio por duas vezes, lembrou que o êxito de hoje, de ser titular de mandato, se deve também a Rede que lhe deu a oportunidade de disputar o legislativo estadual e vencer. 

“Continuo na Rede, a gente tem um plano de crescimento do partido, foi a legenda que me deu oportunidade de ser deputado e é o partido que eu vou dar oportunidade a outras pessoas para se tornarem vereadores, prefeitos e vice-prefeitos em 2020, esse é nosso propósito. A gente está se organizando, está forte com Randolfo Rodrigues, com Marina Silva, com Heloísa Helena”, ressaltou.

Chió adiantou, inclusive, que a ex-senadora Heloísa Helena estará na Paraíba no próximo mês para fazer política.

Com informações de Eliabe Castor

PB Agora

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Após a divulgação das conversas entre Moro e Dallagnol, você acredita na inocência do ex-presidente Lula?

48.2%
51.8%