12/12/2018 às 21h37min - Atualizada em 12/12/2018 às 21h37min

Vítima morta por PM de folga em pizzaria implorou pela vida: 'Não me mate, eu não sou bandido'

Após os tiros que acabaram deixando um homem morto e um gravemente ferido, no início da noite desta quarta-feira (12), em uma pizzaria no bairro Jardim Oceania, em João Pessoa, uma testemunha chave do fato narrou os momentos de angústia pelos quais passou. O grupo de pessoas que chegou ao estabelecimento para uma confraternização afirma ter sido recebido a tiros por um segurança.

A vítima fatal foi Fausto Targino de Moura Júnior, de 25 anos, um dos funcionários que comemorariam o fim de mais um ano e o aniversário do chefe nesta noite. Ele chegou de moto com um amigo e foi atingido após o carro parar o carro em frente ao estabelecimento. Esse amigo conversou com o Portal T5 e contou detalhes de como foi estar na mira de um revolver e olhar o atirador nos olhos.

Ele contou que chegou primeiro, juntamente com o amigo, na moto e ficou ali na frente. O rapaz disse que chegou a olhar o segurança e pensar: 'Estamos seguros aqui'.

"Como hoje é aniversário do meu cunhado a gente veio comemorar na pizzaria, como eu tava de moto a gente veio na frente. Chegamos primeiro e quando eu fui estacionar já tinha uma moto lá e não cabia a minha, mas o rapaz afastou a moto para que eu pudesse ocupar o espaço. Lá ficamos conversando e na frente do estabelecimento, ao meu ver, estávamos seguros, só esperando o restante do pessoal chegar no carro", disse o rapaz, que não quis ser identificado.

Até então tudo estava tranquilo, mas o pior estava para acontecer quando o carro chegou e os rapazes que chegaram de moto foram até o veículo cumprimentarem os amigos.
 
"Quando chegaram e pararam o carro na frente fui falar com eles com o capacete na mão, quando me despedi do meu amigo o cara começou atirar. Quando ele atirou no meu amigo e atirou no motorista ele já veio para me matar, então eu me deitei no chão olhei para ele chorando e falei 'não atire, não me mate eu não sou bandido, você tá me confundindo', ele viu que eu tava nervoso e chorando, daí ele foi se aproximou, baixou arma, olhou para mim, me deu a mão, me deu um abraço, pediu perdão, eu olhei para ele, dei um abraço também, disse não me mate, olhei meu amigo baleado no chão e ele simplesmente foi embora" narrou o jovem, abalado.

Segundo o jovem, a sua súplica pela vida fez com que ele fosse poupado e o atirador percebesse o que fez.

"Ele reconheceu que eu não era bandido, eu percebi no olhar dele, depois que ele baleou os dois e viu a besteira que cometeu. E se eu não tivesse pedido Ele teria me matado também", finalizou.

Após investigações, a Polícia Civil descobriu a identidade do vigilante que matou a tiros o cliente de uma pizzaria e deixou um motorista de aplicativo ferido na noite dessa quarta-feira (12), no bairro Jardim Oceania, em João Pessoa.

De acordo com o delegado Paulo Josafá, o suspeito do crime é policial militar. "Primeiramente nós identificamos as cápsulas das balas no local do crime, depois disso, descobrimos que foi usada uma arma da PM. Com isso, conseguimos chegar ao suspeito", disse.

Segundo o delegado, a identidade do homem ainda será revelada na manhã desta quinta-feira (13).

A pizzaria - Em entrevista, o advogado do estabelecimento negou a versão da polícia que o homem era funcionário do local. "Nós não podemos dar mais detalhes para não atrapalhar as investigações", disse Tiago Melo. Via T5
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Valentina em Qap 24horas (@valentinaemqap24horas) em

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »