12/11/2020 às 16h09min - Atualizada em 12/11/2020 às 16h09min

Prefeita de Bayeux 'some' para não ser notificada em AIJE que investiga distribuição de sopa em período eleitoral

Alvo de uma Ação de Investigação da Justiça Eleitoral (Aije) por abuso de poder econômico e captação ilícita de sufrágio ao fazer uso do programa de distribuição de sopa com fins eleitoreiros, a prefeita do município de Bayeux, Luciene de Fofinho, do PDT, sumiu, desde que ficou sabendo do pedido do Ministério Público Eleitoral para cassar seu mandato.

A oficial de justiça Celestiana Ferreira Lima tentou, durante todo o dia de ontem, quarta-feira (11), mas não conseguiu notificar a gestora por não encontrá-la em lugar algum.

Foram realizadas diligências prefeitura municipal, onde, teoricamente, Luciene deveria prestar expediente, no Centro Administrativo municipal, na residência da prefeita, no comitê central da candidata, e ainda mantido contato com assessores diretos da prefeita, mas ninguém deu pistas sobre o paradeiro da prefeita.

Por conta do sumiço, o mandado foi devolvido a escrivania.

VEJA O DOCUMENTO

DEIXEI DE NOTIFICAR LUCIENE (1)

Na ação, o Ministério Público, em pedido assinado pelo promotor Demetrius Castor de Albuquerque Cruz, datado desta quarta-feira (11), pede a cassação da gestora, bem como sua inelegibilidade por adotar um programa público para captar ilicitamente sufrágios.

Diz o pedido:

“não há dúvidas de que a investigada vem utilizando um programa recém criado (FORNECIMENTO DE SOPA) com o objetivo claro de angariar os votos dos eleitores’.

VEJA DOCUMENTO II

0600782-45.2020.6.15.0061 – AIJE LUCIENE – SOPÃO (1)

PB Agora


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »