22/08/2019 às 14h21min - Atualizada em 22/08/2019 às 14h21min

Suplente de Maracajá é ex-adjunto de Iolanda Barbosa, apontada como uma das chefes da organização criminosa

As novas prisões no âmbito da 2ª fase da Operação Famintos, que está desbaratando um esquema de desvios de verbas da merenda escolar de Campina Grande, pode causar um episódio curioso na Câmara Municipal. O vereador Renan Maracajá (DC) foi preso nesta quinta-feira (22).

O primeiro suplente do DC é Gildo Silveira. Ele é o atual secretário de Educação de Campina Grande, pasta alvo de todo o esquema investigado pela ‘Famintos’. Além disso, ele é ex-adjunto de Iolanda Barbosa, apontada como uma das chefes da organização criminosa.

A presidente da Casa, Ivonete Ludgério pregou cautela, e disse que apenas se Renan pedir um afastamento superior a 120 dias é que ele vai convocar o suplente.

De acordo com informações da Polícia Federal, não há obrigatoriedade no afastamento do vereador por conta da prisão preventiva.

Paraíba Já


 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »