10/02/2017 às 13h06min - Atualizada em 10/02/2017 às 13h06min

Ministério Público condena promotora acusada de comprar votos

Blog do Rubão
Web
Acusada de participar de um esquema de compra de votos nas eleições municipais de 2016 em Mamanguape, a Promotora de Justiça Ismânia Carvalho foi condenada ontem (9) a 100 dias de suspensão do exercício de suas funções. Ela é titular da Promotoria de Justiça Cível de Campina Grande.

A suspensão foi determinada pelo Conselho Superior do Ministério Público da Paraíba em reunião realizada no começo da noite dessa quinta-feira. A decisão baseou-se em apuração da Corregedoria-Geral do MPPB.

Filha de Maria Eunice Pessoa, prefeita eleita de Mamanguape pelo PSB, durante a campanha eleitoral do ano passado Ismânia foi gravada em conversas nas quais sua voz foi identificada como a da pessoa que oferece dinheiro e empregos a candidatos a vereador em troca de votos.

Após a denúncia, foi aberto ainda em outubro, no Ministério Público, um processo disciplinar a que ela respondeu. O procedimento foi conduzido pela sub-corregedora-geral Marilene de Lima Campos de Carvalho.

Marilene concluiu que Ismânia participou efetivamente das negociações com candidatos a vereador para obter apoio e votos para a sua mãe em troca de dinheiro e uma cota de empregos na Prefeitura para cada um dos envolvidos na trama.

O caso ainda está sendo apurado pela Justiça Eleitoral, porque a promotora teria cometido crime nos termos do artigo 299 do Código Eleitoral. Por esse dispositivo, Ismânia teria oferecido “dinheiro e vantagem ilícita para a obtenção de voto, conduta incompatível com o exercício do cargo”.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »