07/02/2017 às 10h10min - Atualizada em 07/02/2017 às 10h10min

Na RPN, multimídia critica escolha de Temer para o STF e reclama de hostilidade ao PT

Redação
Entrevistado nesta segunda-feira (6) pelo programa RPN Agora, apresentado por Paulo Neto e Ytalo Kubitschek, o multimídia e analista político Walter Santos falou sobre diversos temas da política estadual e nacional.

Na oportunidade, o analista defendeu que é um equívoco tendencioso do governo Michel Temer a nomeação do ministro da Justiça, Alexandre Moraes (PSDB), para a vaga deixada por Teori Zavaski no STF.

“Lá atrás Romero Jucá e Sérgio Machado falavam numa gravação que era preciso montar um esquema para implodir a Lava Jato. Moraes é ligado ao PSDB, ao establishment do governo de São Paulo, citado vastamente na delação da Odebrecht. A escolha ratifica o que Sérgio Machado disse quatro anos atrás. Esse é o Brasil real”, criticou.

Walter ainda falou que o governo Temer buscar alternativas para a crise econômica, mas que lhe falta credenciais junto à opinião pública para implementar soluções.

“Sérgio Cabral está propenso a fazer uma delação que envolve que ministros do STJ e do STF. Não se pode jogar para debaixo do tapete o esgoto da vida pública brasileira. Só as eleições podem dar um norte para tirar o país dessa crise em que ele está mergulhado. Crises em cima de crises, sem possibilidade nenhuma de um pacto em favor do Brasil”, declarou.

O analista também opinou que o PSDB nacional capitaneado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi o maior avalista do governo Temer e o impeachment de Dilma Rousseff (PT).

“O PSDB e Fernando Henrique são os principais artífices do que aí está. Os meios de comunicação estão fazendo brutal esforço para que os envolvidos do PT sejam condenados, causando danos a imagem do partido”, contestou.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »