30/06/2018 às 21h40min - Atualizada em 30/06/2018 às 21h40min

Cavani ofusca Cristiano Ronaldo e Uruguai vai às quartas de final com vitória sobre Portugal

ExtraOnline
Cavani comemora um dos seus gols Foto: AFP PHOTO / Jonathan NACKSTRAND
Embora houvesse resistência em dividir Portugal e Uruguai em Cristiano Ronaldo contra Cavani e Suárez, o clima do jogo era de disputa entre um herói nacional e uma dupla dinâmica. Desde os cantos de "Cristiano Ronaldo" dos portugueses a caminho do estádio, no lugar de entoar o nome da própria seleção, às bandeiras uruguaias com os rostos de seus atacantes emprestados ao sol do pavilhão celeste. Era o brilho que se esperava no estádio olímpico de Fisht. E ele veio do lado mais numeroso.

Os gols da classificação foram de Cavani, com participação especial de Suárez. Enquanto Cristiano Ronaldo sozinho não fez verão no calor de Sochi. Pepe descontou para um valente Portugal: 2 a 1. Mas a vitória uruguaia não pode ser contada apenas a partir de seus heróis. Eles não tiraram o brilho da atuação coletiva da Celeste, sobretudo na defesa, vazada pela primeira vez antes de chegar às quartas de final da Copa do Mundo para encarar a França.

No telão, como de costume, Cristiano atraía os holofotes e a torcida russa no aquecimento. Liderando a sua seleção na entrada em campo, o ídolo demonstrava ansiedade, entre sorrisos e movimentos com os músculos da face. Antes da bola rolar, veio na lateral do campo, bebeu mais água, como que prevendo a necessidade de dar o melhor de si, em dobro, para quem sabe se despedir das Copas aos 33 anos de forma digna.

No primeiro toque na bola, Ronaldo driblou dois marcadores e deu sequência à jogada que levou a primeira finalização portuguesa, após cruzamento. Suficiente para levantar a torcida, que tinha minoria na arquibancada em relação aos uruguaios. Os russos aparentemente torciam por Cristiano, embora tenham cantado o nome do próprio país. De início, o gajo tomou a frente do jogo. Mas não demorou a sair a trama fatal entre Cavani e Suárez, em virada de jogo que terminou com golaço do 21.

Portugal tentou responder também no jogo aéreo, mas Godin ficou em cima de Cristiano em todos os lances. Com dificuldade dentro da área, o camisa sete abria na esquerda, mas ao receber a bola não dava sequência às tramas, insistindo em finalizá-las de onde estivesse. Normalmente fora da área. Portugal não conseguia penetrar a defesa uruguaia, simples. Enquanto isso, Cavani e Suárez levavam vantagem contra a zaga portuguesa, ficando pelo último passe para ampliar, o que quase aconteceu em falta cobrada por Luisito.

Nem de falta Cristiano Ronaldo levou perigo. O português se irritava conforme o jogo não se afeiçoava para ele. Resolveu mudar de lado, e cair pela direita. A linha de quatro ou até cinco defensores do Uruguai segurava tudo. E o time ainda saía rápido e produzia lances contundentes. Mas, pelo alto, veio a inesperada falha que levou ao gol de Pepe, subindo sem marcação, no começo do segundo tempo. O gol saiu após escanteio oriundo de uma rara jogada trabalhada na área, com participação de Ronaldo. Mas era noite de Cavani.

De fora da área, o atacante do PSG recolocou o Uruguai na frente. Na sequência, saiu de campo machucado, carregado por Cristiano Ronaldo, que foi aplaudido. Um retrato às avessas do que foi o jogo, tenso até o fim. Cristiano e Portugal tentaram até o último segundo, reclamaram de pênalti, mas a defesa Uruguaia evitou o empate.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »