22/03/2018 às 13h31min - Atualizada em 22/03/2018 às 13h31min

Pelo WhatsApp, vida íntima de deputado vira caso de polícia

Metrópoles
FOTO: RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES
Assunto proibitivo tem circulado em grupos de WhatsApp que reúnem deputados distritais e assessores da Câmara Legislativa. Embora o personagem principal das conversas seja um parlamentar, o tema nada tem a ver com política.

Trata-se de um áudio de 10 minutos que expõe a vida íntima do deputado Juarezão (PSB). Na gravação, um desafeto do distrital conversa com uma mulher que seria a suposta amante do político. Durante o diálogo, ela admite o caso, diz que tem medo das consequências e pede sigilo. Chora e conta que o marido é violento e pode machucá-la, como já teria feito no passado.

O interlocutor grava tudo e acaba vazando o áudio, que foi parar nas redes sociais dos deputados e chegou aos ouvidos da esposa de Juarezão. O episódio, então, evoluiu para um caso de polícia.

No dia 5 de março, foi registrado boletim de ocorrência na 18ª Delegacia de Polícia, Brazlândia – justamente o reduto eleitoral do deputado –, dando conta de um suposto crime por injúria.

A autora do BO declarou aos policiais que a “esposa de Juarezão foi até o local de trabalho dela dizendo: ‘A senhora sabe quem sou eu? Sou a esposa do deputado, sua vagabunda! Desde quando você tem caso com o meu marido?'”. Segundo a denunciante descreve no boletim, a mulher teria usado uma série de palavrões durante a abordagem.

Toda a confusão ocorreu na frente dos colegas da denunciante, funcionária de uma imobiliária. Relatou que até seu chefe assistiu à cena. Disse ainda à polícia que, depois do encontro, a companheira de Juarezão foi até o esposo dela e contou sobre o relacionamento de seu marido com a mulher dele.

A história fica ainda mais embaraçada porque o marido traído teria conseguido emprego de vigia em uma creche por influência de Juarezão.

O distrital atribui a gravação a inimigos políticos. “Eles querem me destruir. Mas acabaram atingindo minha mulher, que é nervosa e foi tirar satisfação sem que eu soubesse”, afirmou. O deputado negou qualquer envolvimento extraconjugal. Nesta quarta-feira (21/3), a sessão na Câmara Legislativa promete.

Após a publicação da reportagem, a advogada da vítima informou que, a pedido da cliente, solicitou a renúncia do BO. A razão alegada é que a esposa do deputado teria agido de modo impensado no episódio relatado no documento.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »