12/11/2017 às 17h54min - Atualizada em 12/11/2017 às 17h54min

Ex-prefeito chama Márcia Lucena de 'vagabunda' e diz que prefeita participa de orgias

Blog do Anderson Soares
O ex-prefeito de Conde, Aluísio Régis (PMDB), fez duros ataques a atual prefeita do município, Márcia Lucena (PSB), durante entrevista a uma emissora de rádio da cidade, neste fim de semana. Aluísio chamou a prefeita de “sujeita vagabunda” e a acusou de participar de orgias.
“Me diga qual foi a escola que ela construiu na cidade. Eu não sou sujeito não. Ele é quem é uma sujeita vagabundo que vive há muito tempo dessas orgias no meio do mundo. O pai e a mãe dela foram meus professores e me conhecem desde jovem. Eu nunca nem conhecia essa mulher. Ela foi secretária de Educação, foi tão medíocre que quando ela saiu candidata e eu fui conversar com José Maranhão nem conhecia ela, não sabia quem ela era, que foi secretária. Fui conversar com Manoel Júnior e ele também nem conhecia, ou seja, uma pessoa obscura e medíocre. Cheguei uma vez no Centro Administrativo do Estado, na Secretaria de Educação, e o povo lá me dizia: derrota essa mulher Aluísio, ela só sabe perseguir, então é essa estrutura que essa mulher tem e por isso só sabe mentir”, disse.
O confronto entre os dois foi motivado por uma declaração da socialista com críticas a Aluísio, durante ciclo do orçamento democrático, sobre a desapropriação de terrenos, à época que o peemedebista comandou a cidade. “As desapropriações foram de mentira. O Ademário Régis, que o sujeito ainda teve coragem de colocar o nome do pai, é um bairro onde ninguém é dono de nada”, criticou. Nas redes sociais, o marido de Márcia, Nanego Lira, saiu em da esposa e atacou Aluísio.
“Tem gestor que governou município durante 18 anos , explorou, escravizou, amordaçou a população. Deu surra de chicote em praça pública. Construiu conjunto popular sem completar os trâmites da desapropriação e hoje todos moram no terreno de terceiros com casas construídas com recursos públicos. Não tem nenhuma moral pra falar de ninguém. Foi condenado pelo TCU… O povo não é bobo. Formou uma família sem moral, sem ética. Afundou um município rico, se locupletou, fez riqueza da boa vontade de um povo, nunca, como investidor colocou um real seu no município, agora não quer aceitar a vontade do povo como se ainda fosse dono do lugar e das pessoas, e assim imaginavam.

Temos que unir forças com os homens e mulheres de bem de Conde e banir qualquer indício, resquício dessa vergonha que aniquilou a cultura e a autoestima da população, Sobrevivente ainda da política antiga e de proveito, de interesse próprio”, postou

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »