24/05/2022 às 08h17min - Atualizada em 24/05/2022 às 08h17min

IMAGEM FORTE: Policial militar que morreu em grave acidente tentou desviar de ciclista; assista

MEiA HORA
Imagens de uma câmara de segurança flagraram o momento do grave acidente que matou o cabo da Polícia Militar Celso Nascimento Furtado, de 42 anos, e deixou um sargento ferido neste domingo, na Avenida Getúlio de Moura, no Centro de Nilópolis, na Baixada Fluminense. Segundo a corporação, a viatura que estavam bateu contra um muro após o agente que dirigia o veículo tentar desviar de um ciclista que estava na via.

No vídeo, é possível ver um ciclista atravessando na frente da viatura que estava em alta velocidade tentando ultrapassar um ônibus. Celso tentou desviar da bicicleta, mas acabou colidindo contra a parede de um comércio. 

Imagens fortes:

 
Segundo a PM, o cabo e um sargento estavam se deslocando para a Comunidade das Casinhas, quando um ciclista entrou na frente da viatura. Neste momento, o policial que dirigia o veículo tentou desviar do homem e perdeu o controle da viatura e girou na pista até colidir. Celso ficou preso entre as ferragens e morreu no local.

Já o outro policial, que não teve a identidade revelada, foi socorrido ao Hospital Municipal Juscelino Kubitscheck, em Nilópolis, e depois transferido para o Hospital Central da corporação, no bairro Estácio, no Centro do Rio. Ele não corre risco de morte.

Na manhã desta segunda-feira, a esposa de Celso esteve no IML de Nova Iguaçu para liberar o corpo e  disse que o filho do casal, de 9 anos, ainda não sabia que o pai morreu.

"Estou muito chocada, triste e abalada com tudo isso. Não tenho muito o que dizer, só pedir pra Deus confortar meu coração e do meu filho, porque eu não sei nem como contar isso para ele. Tá muito difícil. Ele era muito ligado ao pai. Agora estamos aqui sofrendo, a família toda está abalada", lamentou Natalie.

Casados há 14 anos, Natalie descreveu Celso como uma pessoa do bem, generosa e um pai excelente. Segundo a esposa, o policial também era apaixonado pela profissão.

"Ele tinha a polícia no sangue e ele sempre me falava que era policial 24 horas por dia. A gente fica muito triste com isso, porque eu sei quando uma pessoa ama a profissão. A gente ficava preocupada, porque ser polícia no Rio de Janeiro é muito perigoso. Ele era um cara muito legal, um pai excelente, uma boa pessoa, generoso", relembrou.

Em nota, a PM lamentou a morte e disse que Celso era lotado no 20ºBPM, ingressou na Corporação em 2014 e deixa esposa e um filho. O policial será enterrado nesta terça-feira, às 11h30, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, Zona Oeste do Rio.

A Polícia Civil informou que o caso foi registrado na 57ª DP (Nilópolis) e as investigações estão em andamento.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »