22/05/2017 às 11h43min - Atualizada em 22/05/2017 às 11h43min

Vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Jr considera gravação em áudio contra Temer como crime

Com Wscom
Foto: Reprodução
O vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Junior (PMDB), considerou, nesta segunda-feira (22), como crime a gravação do presidente Michel Temer (PMDB) por Joesley Batista, dono da JBS, na qual o peemedebista supostamente teria dado aval para o empresário comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB), preso na operação Lava Jato.
 
“Não posso emitir opinião, não vi laudo técnico, não sei se foi manipulado. Apenas dizer que auscutar sem autorização judicial qualquer pessoa é crime”, afirmou.

Indagado se acha que Temer tem condições de permanecer no cargo, após as denúncias, Manoel Junior disse que “só desenrolar das questões” poderá responder.
 
“Temer tem a prerrogativa de apresentar suas defesas. Ele já fez dois pronunciamentos e quem vai dizer isso é a sustentabilidade que o Congresso vai dar na apuração dessa defesa”, disse.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »