15/02/2020 às 16h21min - Atualizada em 15/02/2020 às 16h21min

Assessoria de Sikêra Jr nega possibilidade do apresentador ser suspenso pela RedeTV!

O clima na emissora pesou absurdamente nesta sexta-feira (14) após o desabafo controverso do comunicador Sikêra Júnior, que não poupou nem o dono do canal, o empresário Amilcare Dallevo.

A reportagem do TV Foco soube que a alta cúpula da RedeTV! fará uma reunião na tarde deste sábado (15) para definir o que será feito a respeito das cenas  protagonizadas por Sikêra no encerramento de seu noticiário.

Por hora, a hipótese mais provável é a de que Sikêra Jr. seja suspenso e não apresente o Alerta Nacional na segunda, dia 17, voltando ao ar apenas na terça-feira. Entretanto, a situação também será debatida com a TV A Crítica, emissora manauara que produz o programa e faz sua geração via satélite.

Se a cúpula da rede amazonense concordar com a punição a sua maior estrela, o noticiário dos fins de tarde da RedeTV! será apresentado, na segunda-feira, pela repórter Mayara Rocha. Ela já comanda a versão regional do programa, o Alerta Amazonas, aos sábados e em folgas de Sikêra.

Outra possibilidade é a de que, excepcionalmente na segunda-feira, a atração originalmente comandada por Sikêra Jr. irá ao ar diretamente dos estúdios da RedeTV!, em São Paulo, sem o auxílio da TV A Crítica. Neste caso, a apresentação será de Edie Polo. O jornalista, mais conhecido como EdieZap, já comandou no mesmo horário o Denúncia Urgente.

Sikêra Jr. ficou em maus lençóis após encerrar seu programa aos berros com uma reportagem sobre o cantor Jhonny Hooker ter chamado Jesus de travesti.

O Alerta Nacional desta sexta-feira terminou com Sikêra visivelmente bradando que “acabou esta merda”.

Assessoria de imprensa nega

“Diferentemente do que afirma o texto, não há reunião alguma na tarde de hoje tampouco qualquer avaliação de suspensão por parte da direção em relação ao Sikêra”, disse a assessoria.

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você concorda com o pedido de intervenção feito pelo TCE-PB na Prefeitura de Bayeux?

63.2%
36.8%