22/09/2019 às 07h40min - Atualizada em 22/09/2019 às 07h40min

'Mesmo no chão, o PM atirou no ouvido dele', diz namorada de policial morto durante briga em bar

O Dia
Jefferson Luiz Gonçalves - Arquivo Pessoal
A namorada do soldado Jefferson Luiz Gonçalves, 39, morto a tiros durante uma briga de bar com outro PM, na noite desta sexta-feira, no bairro Luz, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, diz que o agressor aproveitou que o militar estava no chão e disparou no ouvido da vítima. A discussão aconteceu entre o soldado Jefferson Luiz Gonçalves, que morreu no local, e o soldado Emanuel Alisson de Albuquerque, que foi baleado no braço esquerdo, foi socorrido ao Hospital da Posse e está preso. Os dois estavam de folga.

"Aquele homem, já com o Jefferson no chão, efetuou um disparo no ouvido dele e queria dar mais. Eu segurei a mão dele e ele me puxou arrancando minha blusa no meio do bar", diz Fernanda Lacerda, namorada da vítima.

A confusão aconteceu pouco antes das 20h, em um bar que fica próximo à Universidade Iguaçu (Unig), na Rua Antenor de Moura Raunheitti. No primeiro momento, foi divulgado que a discussão teria começado após Jefferson, que era lotado no 20º BPM (Mesquita), conversar com a namorada do soldado Emanuel, da UPP São João. No entanto, Fernanda contesta essa versão.

"O Jefferson estava comigo e, na verdade, eu quem fui assediada. Nós fomos ao banheiro e quando eu saí meu namorado entrou. Tinha alguns caras na frente e me ofereceram cerveja. Eu neguei e falei que o copo era do Jefferson. Ele ouviu do banheiro e assim que saiu foi tirar satisfação", contou.

Ainda segundo Fernanda, os militares entraram em discussão e sacaram as armas. "Ele virou para ele (Emanuel) e falou: 'poxa, você tá oferecendo bebida pra minha mulher?' e o Emanuel confirmou: 'estou sim, e daí?'. Eles sacaram a arma, mas eu entrei na frente. O Emanuel passou por cima de mim e começaram os tiros. O Jefferson caiu no chão e, quando eu tentei socorrer, ele veio por cima e acertou no ouvido dele".

"Eu não posso deixar a memória dele manchada assim. Fomos namorados há 13 anos e nos reencontramos há 3. Ele dizia que eu era o amor da vida dele e ele era o da minha. Morreu nos meus braços como disse que queria. Ele fazia tudo por mim. Estava fazendo faculdade porque eu queria muito. Eu me formei e ele me acompanhou. Tô despedaçada. Eu perdi o meu amor, o homem da minha vida", desabafou Fernanda.

Adauto Santos Neves, de 32 anos, não estava envolvido na na discussão, mas foi baleado nas nádegas e na mão esquerda. Assim como o soldado Albuquerque, ele foi socorrido no Hospital Geral de Nova Iguaçu (Posse). De acordo com a prefeitura do município, ambos estão com o quadro de saúde estável.

Em nota, a Polícia Militar informou que "policiais do 20º BPM (Mesquita) foram acionados na noite desta sexta-feira para a Rua Batista, no bairro da Luz, para atender uma ocorrência de disparo de arma de fogo. No local, encontraram um militar ferido e foram informados que outro policial estava morto dentro de um bar. Segundo testemunhas, houve um desentendimento entre ambos, que culminou na morte de um deles. Um homem também ficou ferido e foi socorrido ao Hospital Geral de Nova Iguaçu". Já a Polícia Civil disse que "perícia já foi acionada e testemunhas serão ouvidas. Diligências estão sendo realizadas e a ocorrência está em andamento".
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você acredita numa reaproximação entre Ricardo Coutinho e João Azevêdo?

30.5%
69.5%