30/04/2017 às 09h53min - Atualizada em 30/04/2017 às 09h53min

Medo de avião

web
A primeira vez que Eliseu andou de avião foi um marco em sua vida porque vinha de uma cidadezinha do interior onde nem o vento passava. Afivelado o cinto, a aeromoça perguntou se tudo estava bem. Naquele tempo aeromoças eram símbolos de beleza, e o romântico Eliseu quis impressionar: “- Olha só como estamos voando alto. Daqui da janela dá para ver as pessoas do tamanho de formiguinhas”. A aeromoça corrigiu: “- Senhor, aquilo são realmente formigas. Ainda não decolamos”. Foi um balde de agua fria naquele coração apaixonado.

Desembarcou no Rio de Janeiro e caiu na besteira de contar a história do seu medo de avião aos patrões que estavam reunidos em um restaurante. Claro que foi objeto de muita gozação até que o presidente da empresa o chamou de lado e aconselhou: “- Isso é bobagem, se avião fosse perigoso o piloto seria o primeiro a desistir de voar. Mas vou te dar um conselho; chegue sempre com antecedência ao aeroporto e procure saber qual a marca das turbinas. Existem várias, e as mais importantes são Rolls Royce, Pratt & Whitney e General Eletric (G.E.). Evite a todo custo os aviões que usam essas turbinas G.E., mas no restante pode ficar tranquilo”.

Ora, o presidente era homem de viajar ao exterior todo mês, tinha milhares de horas de voo e assim Eliseu adotou o conselho por toda a vida, que melhorou bastante graças à sua competência.

Muitos anos depois, Eliseu reencontrou em um voo o antigo presidente da empresa onde iniciara a vida e que tinha lhe dado aquele precioso conselho sobre evitar aviões equipados com turbinas G. E.. Depois de manifestarem a alegria pelo reencontro, já degustando o excelente champanhe que a Ibéria serve na primeira classe, Eliseu finalmente quis matar sua curiosidade, e perguntou ao idoso viajante o por que daquela restrição.

“- Eliseu, você sabe que minha mulher cozinhava pessimamente e principalmente não sabia fazer a vitamina de banana que eu adoro, de modo que era eu quem usava o liquidificador G. E. de nossa casa para fazer a minha bananada. Pois bem, era só colocar uma bananinha a mais que aquela porcaria enguiçava. Ora, como o liquidificador e as turbinas de avião tem o mesmo princípio giratório, eu sempre desconfiei dos aviões que usam turbinas G. E.”.

Meu amigo Eliseu suspeita que tenha sido vítima de uma gozação.
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »