05/02/2017 às 10h45min - Atualizada em 05/02/2017 às 10h45min

Trump, Prefeito de João Pessoa

As camareiras do Flat onde moro são fantásticas. Conversamos muito e sempre me procuram para esclarecimentos jurídicos.

Dia desses elas estavam conversando sobre a eleição de Donald Trump e uma delas, mais entendida, começou a elencar os supostos absurdos pretendidos pelo
Presidente americano. Como as demais não estavam entendendo, ela exemplificou: “- Mulé, faz de conta que o galego tá no lugar de Luciano Cartaxo. A primeira coisa que ele ia fazer era construir um muro separando João Pessoa de Bayeux. Depois ele ia proibir que o povo do interior tomasse banho de mar...”. Foi interrompida por Terezão, uma lavadeira com quase dois metros de altura, muito querida no Flat. “- Oxente, Dorinha, e por que esse negócio de muro em Bayeux? Eu moro lá e sou decente, viu? Essas coisas que inventam com as mulé que mora lá é inveja”. Antes que Dorinha respondesse, Jessyca (a popular Gegê) atacou: “- Mas pia, proibir banho de mar? Ele acha que a gente é imunda, é? ”.

Dorinha retomou a frente da conversa: “- Não, Terezão, tem nada a ver com chifre. É para que as coisas fabricadas em Bayeux fiquem lá. Caranguejo, dindin, essas coisas vão ser fabricadas em João Pessoa também, pra dar mais emprego pro povo daqui. Agora esse negócio de proibir banho de mar sei não, deve ser porque na praia não tem como esses políticos roubar, né? ”. Gegê estava pra coisa: “- Tem sim, que político rouba em qualquer lugar, até de calção”.
Começou uma quizomba grande, porque se há um lugar polarizado pela política é o meu Flat. Grande parte favorável a um lado, a outra banda contrária, cada uma dizendo que seu político não era ladrão, até que Dorinha gritou: “- E essa confusão toda porque vocês nem imaginam que o galego ia expulsar o povo que mora no Valentina e proibir o xangô”.

Não aguentei e chamei a líder das camareiras para um particular. Que loucura era aquela? “- Ôxente, Doutor, e um muro no México não é igual a um em Bayeux? E não é pros americanos só comprarem os caranguejos que eles faz lá? E ser xangozeiro né a merma coisa de ser muçulmano não? ”. Assim fica difícil.

Para o bem do povo de Bayeux e seus caranguejo espera-se que Donald Trump não tenha a brilhante ideia de desistir de sua reeleição nos Estados Unidos para tentar suceder Luciano Cartaxo aqui em João Pessoa. 
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »